A Liga de Prevenção `a Surdez foi criada em 1997, a partir da idéia dos alunos do Curso de Graduação em Medicina que gostariam de aprender mais otorrino. Desde então vem orientando alunos na prevenção e tratamento da deficiência auditiva distúrbio dos mais comuns entre pessoas de todas as idades.
Hoje, estamos no 6o ano das atividades da Liga de Prevenção `a Surdez e muitos dos residentes formados em otorrinolaringologia no HCFMUSP foram alunos da Liga e muitos outros em outras especialidades. O aprendizado na Liga de Prevenção `a Surdez também se aplica a outras especialidades como a pediatria, geriatria, obstetrícia, reumatologia, UTI, etc., já que a perda auditiva acomete todas as faixas etárias e está ligada a diversas causas como infeccções congênitas, drogas ototóxicas, otites, etc.
Em março será realizado o VI Curso de Introdução `a Liga de Prevenção `a Surdez para acadêmicos de Medicina e Fonoaudiologia, médicos e fonoaudiólogos.

COORDENAÇÅO DA LIGA DE PREVENÇÅO `A SURDEZ:
COORDENAÇÅO:
Dra. Renata Cantisani Di Francesco
Médica- Assistente doutora da Divisão de Otorrinolaringologia do Hospital das Clínicas da FMUSP

SUPERVISÃO:
Prof. Dr. Ricardo Ferreira Bento
Professor associado da Disciplina de Otorrinolaringologia da FMUSP

Prof. Dr. Aroldo Miniti
Professor titular da Disciplina de Otorrinolaringologia da FMUSP

DIRETORIA ACADÊMICA:
Ac. Sergio Konno

FONOAUDIÓLOGAS:
Maria Elizabete Bovino Pedaline
Laura Vasconcelos


A INCIDÊNCIA DA PERDA AUDITIVA:
Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a deficiência auditiva afeta cerca de 10% da população mundial, variando segundo o desenvolvimento sócio-econômico e hábito (estado nutricional, ocupação profissional, raça, cultura, e principalmente o grau de informação sobre a prevenção) local2. No Brasil estima-se que haja 15 milhões depessoas com algum grau de perda auditiva. No censo de 1996 a surdez foi a segunda deficiência mais citada, sendo a primeira a visual.

O IMPACTO SOCIAL DA DEFICIÊNCIA AUDITIVA:
A surdez tem um impacto social muito importante, pois é um distúrbio que afeta a comunicação, que assume um papel cada vez mais importante dentro da sociedade, onde saber falar torna-se essencial para as relações sociais humanas. Os deficientes auditivos têm dificuldades de se adaptar `a sociedade, muitas vezes são marginalizados e acabam isolando-se tem como consequência dificuldades no campo profissional.

A DEFIÊNCIA AUDITIVA NA INFÂNCIA:
A audição é uma das funções mais importantes para o desenvolvimento da linguagem e assim para a comunicação. A perda auditiva é prejudicial em qualquer etapa da vida, mas particularmente na infância onde acaba levando a um atraso no desenvolvimento da linguagem (que ocorre fundamentalmente nos dois primeiros anos de vida) e biopsicossocial do indivíduo.
Um outro momento crucial é na faixa etária escolar e pré-escolar (entre seis e sete anos de idade), onde a deficiência impede a criança de acompanhar o desenvolvimento escolar, levando o indivíduo desde cedo a distúrbio de aprendizagem, problemas de atenção e comportamento, e suas consequências sociais. Quando bilateral e presente desde o nascimento à deficiência acaba levando a criança a tornar-se dependente, com consequente ônus social e econômico para a família e a sociedade.

A DEFICIÊNCIA AUDITIVA NOS IDOSOS:
Na população da terceira idade (principalmente acima dos sessenta e cinco anos), que está aumentando e cuja tendência demográfica tende a manter-se nos próximos anos, a deficiência auditiva pode ser a principal queixa e agrava, entre outros, a tendência de isolamento do indivíduo.

O QUE PODE LEVAR A PERDA AUDITIVA?
A perda auditiva pode ter inúmeras causas. Por exemplo: problemas que causem uma alteração de condução sonora (como infecção, otosclerose, malformações, trauma) ou alterações de "percepção" (como a presbiacusia, perda auditiva induzida pelo ruído, tumores, doenças autoimunes). Em todos os casos de perda auditiva há como melhorar a qualidade de vida do indivíduo seja através de tratamento medicamentoso, cirúrgico, ou através de orientação para o uso aparelhos de amplificação sonora ou implante coclear. Devido à alta prevalência e gravidade das consequências que a disacusia pode causar, a prevenção assume importância fundamental, principalmente para a educação e orientação da população, como também para o diagnóstico e tratamento precoce.


VI CURSO DE INTRODUÇÃO `A LIGA DE PREVENÇÃO `A SURDEZ


PARTICIPAÇAO EM CAMPANHAS ASSISTENCIAIS


1997 - I Campanha Nacional de Prevenção `a Surdez
1999- Quem ouve bem aprende melhor
2001 - Quem ouve bem aprende melhor - Companhia metropolitana de São Paulo


TRABALHOS ELABORADOS NA LIGA DE PREVENÇÃO `A SURDEZ


1. 10 Últimos anos da cirurgia para infecções crônicas do ouvido médio no HCFMUSP
Di Francesco, R; Capelli, F; Chung, D; Cizilio, A; Bento, RF

Apresentado no 34o. Congresso Brasileiro de Otorrinolaringologia
18 a 22 de novembro de 1998 Porto Alegre, RS

2. 10 anos de estapedotomia no HCFMUSP
DiFrancesco, RC; Bento, RF; Cahali, JB; Leite, AF; Oliveira, M

Apresentado no 34o. Congresso Brasileiro de Otorrinolaringologia
18 a 22 de novembro de 1998 Porto Alegre, RS


3. Tumores do Osso temporal: estudo de 32 casos
Neves, MC; Bento, RF; DiFrancesco, RC; Marcondes, RA

Apresentado no 34o. Congresso Brasileiro de Otorrinolaringologia
18 a 22 de novembro de 1998 Porto Alegre, RS

4. Estudo retrospectivo do tratamento cirúrgico da otite média secretora de 1988 a 1997
Simonelli, L; DiFrancesco, RC; Bento, RF; Wiikiman, C; Zerati, F.

Apresentado no 34o. Congresso Brasileiro de Otorrinolaringologia
18 a 22 de novembro de 1998 Porto Alegre, RS

5. Liga de Prevenção `a Surdez: análise de 3 anos de atuação
Fortes, F; DiFrancesco, RC; Bento, RF
Recebeu 3a. colocação para o prêmio Oswaldo Cruz na modalidade de Medicina Preventiva

XIX Congresso Médico Universitário da FMUSP:
14 a 25 de agosto de 2000. São Paulo, SP

6. Liga de Prevenção `a Surdez: 3 anos de atuação
Fortes, F; DiFrancesco, RC; Bento, RF

34o. Congresso Brasileiro de Otorrinolaringolgia,
17 a 20 de novembro de 2000, Natal, RN

7. Early diagnosis of hearing loss: survey among pediatricians
Aoki, L; Kishida, E; DiFrancesco, RC; Bento, RF

104th Annual Meeting of the American Academy of Otolaryngology Head and Neck Surgery,
24 a 27 de setembro de 2000, Washington, USA


EX-ALUNOS DA LIGA DE PREVENÇÃO `A SURDEZ

1997
Celso Morita
Fernando Saito
Alexandre Sizilio
Fábio Elias Zerati
Gustavo Gusso
Juliano R. de Andrade
Érica Asi Domingues
Marcos Felipe Domoni Souza Dias
Maura Neves
Renata Marcondes
Ivan de Picoli Dantas
Lucinda Simoceli
Andrea Furlan Leite
Maura Sararoli de Oliveira
Danielle Chung
Fabio Capelli
Liao Shin Yu
Juliana B. Cahali
Fábio de Oliveira
Glaucia F. Varkulja

1998
Adriana Hachiya
Érica Sane Kishida
Fábio de Rezende Pinna
Fabrício W. de Medeiros
Flávio Sakae
Guilherme M S da Rocha
Lísia Aoki
Luciana Miwa Nita

1999
Luciano Fernando Gatti
Márcio Ricardo Garcia
Midgley Gonzales
Robinson Koji Tsuji
Ronaldo Frizzarini
Flávio Augusto Passarelli Prado

2000
Marcos Loreto Sampaio
Monica Akahoshi Rudener
Murilo Catafesta das Neves
Pedro Gomes de Alvarenga
Rafael Ferreira Coelho
Rodrigo B. D. Passos
Daniel C.Dutra
Fernando Sasaki
Guilherme de Toledo Constantino
Silvia de Almeida Zimbres

2001
Adriana Angelucci
Alexandre Narconi Ayres Pereira
Bruno Brito Atenas
Fernada Salles Seguro
Fernando Villela Andriguetti
Julio Miranda Gil
Lucas Yug Yamalcani,
Mariana Lie Yamaguishi
Mariana Pedreiras Hausen
Ricardo Shinji Aie
Rodrigo Bernal da Costa Morety
Sérgio Nobuo Konno
Ali Mamoud

EX-DIRETORES DA LIGA DE PREVENÇÃO A SURDEZ

1997
Gustavo

1998
Maura Catafesta das Neves

1999
Adriana Hyachia
Felipe

2000
Felipe Sartori Fortes

2001
Monica Rubner
Marcos Loreto

__________________________________________________________

A Liga de Prevenção da Obstrução Nasal é uma organização de caráter universitário, formada por acadêmicos da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), residentes e assistentes do Departamento de Otorrinolaringologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, sob orientação do Prof. João F Mello Jr. Em 2004 mudou de nome passando a chamar-se Liga das Rinites. Suas atividades são realizadas entre 12:00 e 14:00 horas, as terças-feiras no Ambulatório do Departamento de Otorrinolaringologia do Hospital das Clínicas da FMUSP. Apresenta 3 objetivos fundamentais.

  1. 1. Assistenciais:
    1. 1.1. Promover atendimento aos pacientes portadores de obstrução nasal e outras doenças das cavidades nasais
    2. 1.2. Promover o diagnóstico da obstrução nasal
    3. 1.3. Prevenir as complicações da obstrução nasal
  2. 2. Didáticos, proporcionar aos acadêmicos dos 3o, 4o e 5o anos do curso de graduação da FMUSP conhecimentos das doenças das cavidades nasais, nos seguintes aspectos:
    1. 2.1.1. treinamento ambulatorial
    2. 2.1.2. aprendizado dos diagnósticos
    3. 2.1.3. tratamento clínico
    4. 2.1.4. indicação de tratamento cirúrgico
    5. 2.1.5. acompanhamento ambulatorial de pacientes
    6. 2.1.6. iniciação em pesquisa médico-científica com a finalidade de familiarizá-los com a metodologia da realização de trabalhos científicos.
  3. 3. Científicos:
    1. 3.1. Aumentar a casuística dos casos de doenças nasais do departamento de otorrinolaringologia do H.C.F.M.U.S.P.
    2. 3.2. Possibilitar a realização de pesquisas sobre as diversas doenças que levam à obstrução nasal.


07/10/2020
A revista International Archives of Otorhinolaryngology publicou um artigo sobre as evidências envolvendo a pandemia do COVID-19.
30/09/2020
Prof. Ricardo Ferreira Bento Recebe o Prêmio de Serviços Notáveis da Academia Americana.
03/09/2020
Abertura de inscrição para o Programa de Complementação Especializada 2021
25/08/2020
Forl Realiza Seu Primeiro Congresso Virtual
20/08/2020
Atenção À Audição das Crianças
20/08/2020
Ajude a Financiar 1.000 Testes para Pesquisas Contra o Câncer
30/07/2020
SAVE THE DATE
20/07/2020
Curso de Dissecção de Anatomia Cirúrgica do Osso Temporal.
08/07/2020
Fmusp-Hc o Maior Sistema de Saúde da América Latina
Outras notícias